quarta-feira, 29 de agosto de 2007

Fotografia



Originally uploaded by cunha.vania
Três razões porque esta fotografia é especial para mim:

- foi fotografada pela minha prima;
- os pés são da minha afilhada e prima que é bailarina (exemplar) e irmã da minha prima, autora da fotografia;
- devido aos sacrifícios que os pés de uma bailarina estão sujeitos, estes merecem toda a nossa atenção.

domingo, 26 de agosto de 2007

Dançando o Tango

Gosto muito de dançar. Uma das «danças» que me arrepia é o Tango. Há muito tempo que não o danço, mas são inesquecíveis as sensações que o Tango nos pode dar. Quando danço o Tango, mais do que pensar nisto ou naquilo, sinto a sensação do infinito, da sedução, do atrevimento e até da conquista. Perde-se a noção do tempo e ganha-se a força da liberdade... De passo em passo parece que tudo deixa de existir, para existir apenas e tão só aquele singelo momento. Só quem o dança sabe do que falo. Há uma passagem de um filme em que se dança o Tango de uma forma que me tocou e, por isso, resolvi partilhar esse momento; Al Pacino em Scent of a Woman.

quarta-feira, 22 de agosto de 2007

Sugestão


Sugiro a leitura do artigo de Miguel Sousa Tavares publicado no Expresso do passado fim-de-semana. O artigo pode ser lido AQUI.

terça-feira, 21 de agosto de 2007

Novo destino

Agora já me podem encontrar aqui, no Traços e Letras, e no ilustre blog de Ana Abrunhosa. Esta respeitável designer de moda lançou-me um desafio e estou a tentar corresponder. Por isso, quando tiverem um tempinho passem por AQUI e por AQUI porque vou gostar de vos receber e de conversar convosco.


Cá vos espero

Vento

No último fim-de-semana, fui passar o sábado a Âncora. Há alguns anos que não passava por aqueles lados, mas posso dizer que valeu o passeio. Teve um dia muito bom. Não faltou praticamente nada. O sol brilhava e as temperaturas estavam quentes. Foi, como se costuma dizer, um dia de verão. O problema aconteceu quando o vento teimou em marcar presença. Ao final do dia não havia quem se aguentasse na praia ou mesmo no paredão com tanto vento. O vento é mesmo um dos maiores inimigos das praias nortenhas.

domingo, 19 de agosto de 2007

Atitudes

Li este fim-de-semana no Jornal Expresso o seguinte: «Cinco administradores da Unidade Local de Saúde de Matosinhos do Hospital Pedro Hispano tomaram uma decisão exemplar: renunciaram ao direito a ter carro de serviço (cerca de €35.000 cada) para que essa quantia fosse utilizada para ajudar à compra de novos equipamentos hospitalares.».

Há atitudes que merecem a nossa atenção e até o nosso obrigada. Esta é uma delas.

sexta-feira, 17 de agosto de 2007

Aqui fica uma ajudita

Uma amiga e uma prima estão a tentar vender os seus apartamentos e aqui fica uma ajudita, espero que resulte. Se não resultar teve boa intenção.

Vende-se T1 Kit, no Amial, Porto. É um 4º andar, virado a nascente, tem varanda e lugar de garagem. Tem elevador. Fica a 2 minutos da entrada da auto-estrada e da VCI. Fica também perto da zona universitária.

Vende-se T3 em Vila Nova de Famalicão. É um 2º andar e tem duas varandas, uma na suite e uma outra na sala. Tem três frentes e garagem fechada. Fica a 2 minutos da auto-estrada e a 5 minutos, a pé, do centro de Vila Nova de Famalicão.

Ambos os apartamentos têm bons isolamentos e estão muito bem conservados. Vale uma visita.

Para T1 Kit contactar Aqui
Para T3 contactar Aqui

quinta-feira, 16 de agosto de 2007

Ver e sentir


Room with a view
Originally uploaded by flickring Nemo







O Mundo visto através desta janela tem outro brilho. Dá-nos outras sensações e outras belezas. Podem crer.

quarta-feira, 15 de agosto de 2007

Será verdade?

Segundo a imprensa de hoje, os Mão Morte terão dado ontem, em Paredes de Coura, o seu último concerto. A ser verdade acabaram em grande... foi um grande concerto.

terça-feira, 14 de agosto de 2007

Desânimo

O que é o desânimo? Pode ter vários significados, mas, para mim, desânimo não passa de um sentimento que nos tira as forças físicas e psicológicas. Um sentimento que nos coloca no centro da indecisão, ou pior, no centro da inércia. É preciso ter força para lutar diariamente contra esse sentimento. É preciso ter coragem para o enfrentar. É preciso persistência para o vencer. É preciso agir.... Agir é um verbo que devíamos usar e abusar quando falamos e pensamos. E é preciso agir porque é urgente lutar contra o desânimo que quer diariamente controlar tudo de todos. Que quer dia-a-dia fazer com que vença a desgraça em vez da graça. A tristeza em vez da alegria. O desalento em vez do alento. Talvez por isso do outro lado do pensamento esteja uma voz que grita com muita garra a palavra age... age... age... porque para vencer o desânimo é preciso termos a coragem de lutar. Porque para vencer o desânimo é preciso dizer não ao desalento e sim ao alento. Porque para vencer o desânimo é preciso dizer não à inércia e sim ao verbo AGIR, pois é nele que mora a alegria, a vitória.
Um dia ainda vos falo do verbo AGIR.

domingo, 12 de agosto de 2007

Miguel Torga


Miguel Torga nasceu no dia 12 de Agosto de 1907 em São Martinho de Anta (Vila Real, Trás-os-Montes). Licenciou-se em Medicina pela Universidade de Coimbra em 1937. Poeta, romancista, novelista, dramaturgo, Miguel Torga é o pseudónimo literário do médico Adolfo Correia de Rocha (1907-1995), ilustre escritor da região transmontana.







Torga faz hoje 100 anos que nasceu e para recordar aqui ficam alguns poemas.






Recomeçar
Recomeça ...
Se puderes,
E os passos que deres,
Nesse caminho duro do futuro,
Dá-os em liberdade
Enquanto não alcances,
Não descanses.
De nenhum fruto queiras só metade.
Miguel Torga



Retrato

O meu perfil é duro como o perfil do mundo.
Quem adivinha nele a graça da poesia?
Pedra talhada a pico e sofrimento,
É um muro hostil à volta do pomar.
Lá dentro há frutos, há frescura, há quanto
Faz um poema doce e desejado;
Mas quem passa na rua
Nem sequer sonha que do outro lado
A paisagem da vida continua.
Miguel Torga


UM POEMA
Não tenhas medo, ouve:
É um poema
Um misto de oração e de feitiço...
Sem qualquer compromisso,
Ouve-o atentamente,
De coração lavado.
Poderás decorá-lo
E rezá-lo
Ao deitar
Ao levantar,
Ou nas restantes horas de tristeza.
Na segura certeza
De que mal não te faz.
E pode acontecer que te dê paz...
Miguel Torga


"Li centenas de livros, e continuo a ler. Mas é na cartilha da natureza que aprendo o que à minha inquietação mais importa"
Miguel Torga

sexta-feira, 10 de agosto de 2007

Momentos que marcam ...

Em Agosto de 2002 fui a Marrocos. Posso dizer que foi a minha primeira expedição (se assim se pode chamar). A Viagem foi feita de Land Rover Discovery o que facilitou o acesso a locais e momentos diferentes e especiais. Percorri uma parte do norte e sul marroquino. Gostei praticamente de todos os locais por onde passei, mas se tivesse que seleccionar três momentos/locais que me marcaram durante aqueles 10 dias escolhia o deserto do Sahara, a visita a uma tribo do Mali (as más condições de vida «obrigou-os» a escolherem território marroquino para viverem) e uma refeição feita, num «snack», depois de longas horas a visitar a Medina de Fez.

A beleza do deserto do Sahara está no invisível horizonte. No inalcançável. Na sensação de estar perante o infinito. As pistas que levam muitos pilotos a chegarem a Dakar têm tanto de duras como de interessantes. E as infinitas dunas levam-nos à liberdade no seu ponto mais puro.



A visita à tribo do Mali fez-me recuar no tempo. As condições como viviam fez-me sentir no sangue os dois mundos que formam o Mundo. Mal consigo descrever o que senti, vi e pensei porque há coisas, imagens, sensações, pensamentos que não se conseguem descrever. E aqueles momentos fazem parte desses momentos indescritíveis. Apenas posso dizer que fomos, eu e os meus amigos, uns privilegiados por estarmos ali ...



A refeição feita depois de horas a visitar a Medina de Fez consistiu num cachorro «à marroquino» (ficaram todos com cara de desconfiada a olhar e eu também claro) e para beber escolhi uma Coca-Cola. Há muitos anos que bebo Coca-Cola, mas a única vez que senti que uma bebida que dizem ter o mesmo sabor em qualquer lado do mundo ali teve um sabor/paladar diferente. Se há refeições inesquecíveis aquela foi sem dúvida uma dessas e aquela Cola-Cola foi a melhor que bebi em toda a minha vida. Já tentei beber mais vezes, noutras circunstancias e locais, sempre com o intuito de voltar a sentir aquele paladar, mas nunca mais o voltei a saborear. Quem sabe quando voltar de novo a Fez ...

quarta-feira, 8 de agosto de 2007

Na costa da Costa da Caparica

Estou de regresso a Vila Nova de Famalicão depois de passar alguns dias na Costa da Caparica. Foi uma semana repleta de calor e de repouso absoluto. O tempo foi passado, sobretudo, entre a praia e o hotel. Mas ainda deu para dar uma voltinha até ao Cabo Espichel, aconselho a visitarem, e fazer uns passeios a pé pelo paredão das praias da Caparica. Antes de rumar ao norte deu ainda para dar uma saltada ao Convento dos Capuchos e ir comprar pastéis de Belém às suas origens. Gostei de Costa da Caparica e quero lá voltar. Eis algumas fotos ...

Cabo Espichel

Costa da Costa da Caparica

Convento dos Capuchos

Pastéis de Belém

terça-feira, 7 de agosto de 2007

Coisas à portuguesa ...

Como é do conhecimento do público em geral, a Costa da Caparica está a sofrer algumas obras de modo a requalificar a costa. Quem passa pela Costa da Caparica vê perfeitamente que existem locais onde máquinas próprias estão a colocar areia para preservar e alargar o areal. Existem até placas com determinados avisos ... e não é que mesmo com placas de aviso e escritas a vermelho há sempre quem quebre as regras???!! A imagem fala por si ...

De novo por cá ...

Resolvi voltar ao mundo dos blogs. Não sei por quanto tempo por este mundo vou andar e que interesse terá o que eu vier a escrever neste espaço, mas mesmo assim estou de volta.