sexta-feira, 27 de março de 2009

...

"Amigos, antes de mais!
Amantes, também da música-artesanato, lugar familiar, refúgio de
todos os sonhos:
A inspiração chega numa brisa embaladora de fados e barcarolas,
talvez numa ria… Possivelmente em Aveiro…
Ecos de fado, acordes de balada, palavras ditas por uma guitarra sem
pauta, raiz-fantasma de uma musa que se fez ao mar e de lá trouxe
lendas e narrativas, graças e desgraças, tradições castiças, amores
imaginados, sonhos como o mundo, dias parados, tempestades… e
saudade.
Quanta saudade… daquela serenata dedicada à janela aberta,
rendida de par em par ao sentimento… de um olhar que repousa o
pensamento na fantasia das palavras que ouve.
Eis então o registo destes sentimentos e impressões, vontades e
desejos que a ria guardou durante estes anos.
Do coração do trovas e serenatas brota para todos o fado à ria.

Aveiro, Maio 1999
Trovas e Serenatas"

domingo, 15 de março de 2009

(...)

Porque treme a tua mão?
É medo, senhor,... é medo.
Porquê esse medo?
Incertezas, senhor,... incertezas.