segunda-feira, 28 de abril de 2008

terça-feira, 22 de abril de 2008

Caminho leve...,

... levemente como que procurando o que pedi.
Caminho leve...,
... levemente como que esperando uma resposta ao que pedi...

terça-feira, 15 de abril de 2008

(...)

Quis a vida que abandonasse o sonho
E...
Desde então outro procurei

(...)

Quis a vida que não o encontrasse
E...
Desde então morro aos poucos

(...)

quinta-feira, 10 de abril de 2008

terça-feira, 8 de abril de 2008

Encolhida...

Quero deitar-me ao comprimo. Esticar o corpo para o encolher de seguida. Adormecer ao relento. Onde? Na praia. Sem relógio, nem regras. Apenas a natureza se encarregará de me acordar quando e como quiser. Até lá... bem... até lá quero dormir encolhida.

Praias de Gaia ao por-do-sol, originally uploaded by Luís Bravo.

domingo, 6 de abril de 2008

Coisas...

Não o consigo segurar. Foge-me por entre os dedos. Quero controla-lo e não consigo. Estabeleço pactos de colaboração, mas ele prega-me partidas. Dependo dele, mas ele não depende de mim. Será? Quando quero que ele passe à velocidade do vento, finge não perceber. Quando quero que ele seja lento como uma lesma, finge não entender. Preciso de ti. Dos teus segundos. Dos teus minutos. Das tuas horas.. mas o tempo passa... passa e não o consigo agarrar. Como é complicado gerir o tempo.

4, originally uploaded by flickring Nemo.

quarta-feira, 2 de abril de 2008

...

O que tens em teu rosto?
São lágrimas, senhor,... são lágrimas.
Porquê essas lágrimas?
Saudade, senhor,... saudade.

(...)