sexta-feira, 4 de janeiro de 2013



Já não se estranha a criação de comissões. Chego mesmo a pensar que se estranha é quando elas não são criadas. Também já ninguém estranha, nem se surpreende com os rostos que dão rosto a essas comissões. Parece é que até já se «entranhou» a ideia de «conflito de interesses» que já nem incomoda quem acusa, nem quem é acusado de tal «conflito». Até ao momento não tenho nada contra Lobo Xavier, mas quando vi o rosto dele para a comissão a pergunta de sempre voltou a surgir na minha cabeça: no fundo, lá bem no fundo o que leva estas pessoas, depois de tudo, continuarem a precisar de ter sobre elas luzes pálidas?


Lobo Xavier recusa conflito de interesses por presidir à comissão para reforma do IRC - Impostos - Jornal de Negócios

Sem comentários: