domingo, 29 de abril de 2012

Eu creio que um dos princípios essenciais da sabedoria é o de se abster das ameaças verbais ou insultos.

Maquiavel

domingo, 22 de abril de 2012

Espelhas o céu. Espelhas a vida... Espelhas quem precisa de ti... Espelhas quem de ti se alimenta...

terça-feira, 17 de abril de 2012

Diz-se que não chove. Deseja-se ardentemente chuva. E nunca choveu tanto quanto agora. Só que não chove na terra. Chove na pele.

AJO

domingo, 15 de abril de 2012

Matar o sonho é matarmo-nos. É mutilar a nossa alma. O sonho é o que temos de realmente nosso, de impenetravelmente e inexpugnavelmente nosso. (Fernando Pessoa)

sábado, 14 de abril de 2012

«Ser feliz é ter futuro e é dar futuro. Todos pensamos ser felizes e acordamos todos os dias com esse desejo. Mas ser feliz não é uma sorte, nem é ausência de problemas. É viver com sentido, com coragem, construindo o futuro e dando futuro. Isso depende de mim. Era uma vez um homem que corria e corria pela vida… A vida era curta e necessitava de correr muito para gozar muito e ser feliz. E quanto mais corria, mais necessitava de correr! Descobria sempre mais lugares para visitar! Necessitava encontrar tudo e gozar de tudo. Até que um dia, cansado de tanto correr, parou. Então, a felicidade pôde alcançá-lo».

(Padre) Vasco Pinto de Magalhães in ‘Não Há Soluções, Há Caminhos’

sexta-feira, 13 de abril de 2012

Não Choreis os Mortos

Não choreis nunca os mortos esquecidos

Na funda escuridão das sepulturas.

Deixai crescer, à solta, as ervas duras

Sobre os seus corpos vãos adormecidos.

E quando, à tarde, o Sol, entre brasidos,

Agonizar... guardai, longe, as doçuras

Das vossas orações, calmas e puras,

Para os que vivem, nudos e vencidos.

Lembrai-vos dos aflitos, dos cativos,

Da multidão sem fim dos que são vivos,

Dos tristes que não podem esquecer.

E, ao meditar, então, na paz da Morte,

Vereis, talvez, como é suave a sorte

Daqueles que deixaram de sofrer.

Pedro Homem de Mello, in "Caravela ao Mar"

domingo, 8 de abril de 2012

Chora para que sorriam. Sofre para que se alegrem. Renuncia para que tenham. Recua para que avancem. Apaga-te para que brilhem. Morre para que vivam. Assim se dimanam pedaços de uma biografia… AJO

quarta-feira, 4 de abril de 2012

O silêncio sempre foi e é um dos meios mais fortes da comunicação. Mas também o mais exigente. O mais complexo. O mais doloso. O mais íntimo. A pragmática do silêncio é dura - Fazer silêncio. Obedecer ao silêncio. Respeitar o silêncio. Praticar o silêncio. Jogar o silêncio. Jogar com silêncio. Jogar com o silêncio. Gerir silêncio. Gerir o silêncio. Falar com silêncio. Falar silêncio. Viver no silêncio. Viver de silêncio. Viver do silêncio. Morrer no silêncio. Morrer de silêncio. Morrer do silêncio. O silêncio de silêncio não tem nada. O silêncio escuta-se no silêncio. O silêncio é tudo menos silêncio. AJO

domingo, 1 de abril de 2012

Espera… Espera…

Quem espera desespera, dizem. Não desesperes.

Acredita… Acredita...

Quem acredita alcança, dizem. Não alcançaste?

Talvez seja por isso que quem espera desespera!

Acreditar não significa alcançar….?!

AJO