Aventura nos Pirinéus – Parte I

Já lá vão mais de dois anos quando, eu e mais setes pessoas amigas, resolvemos partir à descoberta dos Pirinéus. A aventura foi feita ao volante de um 4x4 permitindo descobertas mais arrojadas. Agora... passar para o papel o que se viu e sentiu não é fácil, há lugares que só pessoalmente se conseguem sentir. Mas, mesmo assim, vou tentar.



Passear pelos Pirinéus, do lado Francês, é assistir ao confronto entre a natureza humana e a natureza no seu estado mais puro. O poder da paisagem montanhosa é visível, assim como a nossa pequenez fase a tão poderosa existência. Ao percorrer tão grandiosa cadeia montanhosa sente-se o poder da natureza.


Quando pisamos ou simplesmente observamos a cadeia montanhosa que forma os Pirinéus o confronto entre o singular e o plural parece querer impor-se quase como que um enigma. Quando olho para aquela cadeia montanhosa não consigo ver nem o fim nem o princípio da mesma. Parece que um ponto dá lugar a um outro ponto e outro e outro e quando olho vejo apenas uma montanha de tamanho infinito... sem início, nem fim. É como se uma erupção rompesse a terra e se instalasse nela sem pedir permissão para o fazer!





Cobertos de neve ou de um simples verde ou mesmo da combinação destas duas aparências, os Pirinéus impõem-se pela sua grandiosidade. Não é apenas uma questão de tamanho é também uma questão de beleza. Afinal nem tudo o que é grande é bonito e vice versa. Porém, a cadeia montanhosa que define os Pirinéus é grande em dimensão e em beleza.






Aventura continua ...

Fotos Manuel Silva

Comentários

Maria disse…
Que beleza.....
Vou estar atenta aos próximos posts.
Quando eu me aventurei nos Pirinéus, há muitos anos, não havia sítio nenhum para dormirmos, e foi mesmo dentro do carro, com os bancos recostados...
No dia seguinte tivemos que raspar os vidros para tirar a neve e o gelo...
... e fico-me por aqui...

Beijo
peciscas disse…
Bela descrição, apoiada por excelentes imagens.
Ficamos à espera do resto.
AnaG. disse…
Gostei de ter viajado através das tuas palavras e das tuas fotos...

Fico à espera da continuação.

Beijitos
Dalaila disse…
ADoro os pirinéus, e gostei muito destas descrições... a aventura vale por si
JFAlves disse…
Uma maneira muito inspirada de descrever uma viagem, tanto a nível do texto como da fotografia.
Continua, vou ficar à espera.
Abraço.
PAS disse…
Este comentário foi removido pelo autor.
PAS disse…
mmmmmm...
Que Recordações e que Saudades...
A esta distância sabe tão bem relembrar momentos tão bons e intensos, a descrição (verbal e visual), mais uma vez, está excelente, continua que estou a gostar. :-)
Temos de repetir... ;-)
luma disse…
Que viagem maravilhosa! Dá para imaginar quão pequenos sentimos diante de tanta grandiosidade!! Belas fotos!! Boa semana! Beijus
longge disse…
Now, lv handbag provided the crowning touch to Speedy 30. His casual graffiti sets the fashion in easy replica louis vuitton handbags going with the times. Holy Grail, exquisiteness, and elegance but also upbeat, exaggeration, and individuality, people require more for their bags and Stephen Sprouse just hit their fancy.
lv 11.8 inches in length and 8.3 inches in height, three colors are available- fuchsia, orange and green. This bag features natural cowhide leather, louis vuitton handbags over times into that lovely aged golden color, and is accessorized with the louis vuitton bags shiny golden brass hardware, and the zip top closure with padlock. The spacious interior is dressed in fine textile lining with an interior patch pocket, ideal for your cell phone. The size is really amazing prefect for your daily mission.
No wondering the Graffiti Speedy 30 is louis vuitton adored by so many Hollywood stars, Madonna with Sunset Orange, Heiress with Fuchsia, and Agyness Deyn with Neon Green. It is really hot and vintage.

Mensagens populares