quinta-feira, 31 de maio de 2012

Acaba o que não pode começar.

Dá o que não pode dar.

Há viver e não se pode viver.

Sente-se e pode-se sentir…

Resta o alívio de poder sentir …

Alívio?

AJO

Sem comentários: