sábado, 21 de julho de 2012

É meu e só meu…, este fado.

Nosso não! Nosso não!

Fado pertence a quem tem a respiração estampada no papiro.

Fado dactilografado a preto na pedra branca.

Não é rascunho. É original.

Escrito com pena e pela pena que não mais pertence…

É meu e só meu…, este fado.

Nosso não! Nosso não!

Fado pertence a quem arruína alforria.

Agora anexa a um aristocrático.

Encerrada no mosteiro com liame sombrio.

Fado com moldura, de encaixe, negra …

Lacrado em baú…

Pelo tratado de um cultivo… Amanho fóssil… Dogmático!

É meu e só meu…, este fado.

Nosso não! Nosso não!

AJO

Sem comentários: