segunda-feira, 2 de julho de 2012

Saudade. Definitivamente é saudade o que inquieta o batimento cardíaco. Saudade o que queima os ventrículos e os átrios. Saudade o que molha a epiderme. Saudade o que come a ação e planta a inércia. Saudade o que manipula o pensamento e arquiteta o sonhar acordado. É saudade o ingrediente que forma as plaquetas… Saudade o aroma do oxigénio. Saudade… Tão-somente saudade o que protela o respirar... Tão-somente?! E sirva o tempo para aniquilar a saudade… Aniquilar? Aniquilar ou dilatar? Aniquilar… Aniquilar… Outra coisa não… Outra coisa não…

AJO

Sem comentários: