sexta-feira, 21 de setembro de 2012

Ausência que de pura angústia se veste, mas de natural nada tem! É refúgio silencioso e sombrio que encapota toda uma razão que a própria razão arremessa! Fado que queima a epiderme outrora cal...Veste-se de negro a presença que outrora verde dava sopro… Agora é só ausência que planta a planta que morre à nascença por ausência de oxigênio… Ausência…

AJO

Sem comentários: